Aprenda o português do Brasil!

Atividades em português.
Activities in Portuguese.

22 August 2015

PRONOMES PESSOAIS – EU – ME – MIM – COMIGO


advanced level


PRONOMES PESSOAIS – EU – ME – MIM – COMIGO


1. Acho que eu vou ao cinema hoje.
    Ele falou para eu ir fazer algumas compras

2. Você poderia me fazer um favor?
    Você me mandou a mensagem?
    Eu me levantei cedo hoje.
3.  Ele gosta muito de mim.
     Ele olhou para mim.
     Ele passou por mim e não me cumprimentou.
     Ele vai fazer isso sem mim.
     Ele falou sobre mim.
4. Ele vai sair comigo.

Nos exemplos (1) –
Eu = sujeito do verbo :

Acho que eu vou ao cinema hoje.
Ele falou para eu  fazer algumas compras.


No exemplo (2) –
Me = complemento do verbo sem preposição:

Você poderia me fazer um favor?
Você me mandou a mensagem?
Eu me levantei cedo hoje.

No exemplo (3) –
Mim = complemento do verbo, precedido do preposição:

Ele gosta muito de mim.
Ele olhou para mim.
Ele passou por mim e não me cumprimentou.
Ele vai fazer isso sem mim.
Ele falou sobre mim.


No exemplo (4) –
Comigo = complemento do verbo precedido da preposição com:

Ele vai sair comigo.

eu
me
De
Sobre
Para              mim
Por
sem
comigo

EXERCÍCIO:
Complete com: eu, me, mim, comigo:

1. Ele disse para eu ..................... servir à vontade.

2. Você pode passar o sal para ............................?

3. Venha almoçar ............................. no sábado.

4. Acho que vamos ter problemas, não só você, mas ............................... também.

5. Decidam isso sem .............................................

6. Eles não têm dúvidas sobre .........................................

7. Ele mandou.............................. ficar quieto.

8. Eles estão ..................................... esperando.

9. Não precisa esperar por..................................... Estou muito atrasado.

10. Eles disseram para .............................. decidir esta questão.

11. Ele olhou para você, e não para ............................................ 

07 June 2015

Televisão - Interpretação de texto e atividade

Advanced level

Pessoas infelizes assistem mais TV, diz estudo

Grupo que se considera infeliz assiste 20% mais TV; felizes têm mais vida social.

Um estudo feito por sociólogos americanos concluiu que pessoas infelizes assistem mais televisão, enquanto pessoas que se consideram felizes lêem mais e têm vida social mais ativa.
O trabalho foi publicado na edição de dezembro da revista científica Social Indicators Research.
Os pesquisadores, da Universidade de Maryland, na cidade de Baltimore, basearam suas conclusões em pesquisas realizadas ao longo de 30 anos nos Estados Unidos.
Com base nesses estudos, eles ainda concluíram que as horas que a população passa em frente à televisão podem aumentar com a crise econômica.




- Três décadas

Os sociólogos John P. Robinson e Steven Martin, da University of Maryland, analisaram dados de quase 30 mil adultos que participaram de estudos sobre o uso do tempo e sobre comportamento social feitos entre 1975 e 2006.
Nos estudos sobre como as pessoas usam seu tempo, os participantes foram convidados a escrever diários relatando suas atividades durante um período de 24 horas, indicando quão prazerosas foram cada uma delas.
As pesquisas sobre comportamento social, ou General Social Surveys, também usadas como base para o presente estudo, indagaram aos participantes, durante anos consecutivos, quão felizes se sentiam e como passavam seu tempo, além de outras questões.
Robinson e Martin verificaram que, em relação ao hábito de assistir TV, os dois tipos de estudos apresentaram resultados diferentes.
De acordo com as General Social Surveys, pessoas que se consideram infelizes assistem em média 20% mais televisão do que pessoas muito felizes. Em suas conclusões, os pesquisadores levaram em conta características individuais como educação, salário, idade e estado civil.
As pesquisas também revelaram que pessoas que se descrevem como felizes são mais ativas socialmente, participam mais de serviços religiosos, votam com mais freqüência e lêem mais jornais.
As informações obtidas a partir dos diários descrevendo como as pessoas passavam o tempo, no entanto, revelaram um quadro diferente.
Escrevendo em tempo real, no mesmo dia em que as atividades aconteceram, os participantes parecem ver o ato de assistir televisão de forma mais positiva.
Segundo Robinson, embora os telespectadores digam que a TV de forma geral é um desperdício de tempo e uma atividade não particularmente agradável, muitos acrescentam que os programas vistos "foram muito bons".






- Satisfação a longo prazo

Os autores do estudo concluíram, desta forma, que assistir televisão pode contribuir para a felicidade do telespectador naquele momento, porém, há menos efeitos positivos a longo prazo.
"A TV não parece realmente satisfazer as pessoas a longo prazo da maneira como o envolvimento social ou a leitura de um jornal o fazem", disse Robinson, um pioneiro em estudos sobre como as pessoas passam seu tempo.
"Os dados indicam que o hábito de ver TV pode oferecer prazer a curto prazo, mas causam mal a longo prazo."
Baseado em dados colhidos pelas pesquisas sobre o uso do tempo, Robinson prevê que a população deva assistir mais televisão durante o período de crise econômica.
" À medida que as pessoas têm progressivamente mais tempo em suas mãos, as horas em frente à TV aumentam".
Ele acrescenta que um pouco do tempo extra também poderá ser preenchido dormindo.
(Depois da televisão) "o sono pode ser o segundo grande beneficiário da perda de emprego ou da redução nas horas de trabalho".

(Fonte: www.g1.com.br)





Compreensão do texto

1)    Quais atividades são praticadas por pessoas que se consideram felizes? E quais atividades são praticadas por aquelas que se consideram infelizes?

2)    Quantos participantes havia no estudo dos sociólogos John P. Robinson e Steven Martin? O que os participantes tinham que fazer?

 Atenção: o verbo HAVER = existir não tem plural!

3)    Que características individuais os pesquisadores também levaram em conta em suas conclusões?

4)    A que conclusão chegaram os pesquisadores sobre a satisfação que a televisão proporciona a curto e a longo prazo?




Conectando ideias

- Observe os fragmentos abaixo retirados do texto:

Um estudo feito por sociólogos americanos concluiu que pessoas infelizes assistem mais televisão, enquanto pessoas que se consideram felizes lêem mais e têm vida social mais ativa.

De acordo com as General Social Surveys, pessoas que se consideram infelizes assistem em média 20% mais televisão do que pessoas muito felizes.

As pesquisas também revelaram que pessoas que se descrevem como felizes são mais ativas socialmente, participam mais de serviços religiosos, votam com mais freqüência e lêem mais jornais.

As informações obtidas a partir dos diários descrevendo como as pessoas passavam o tempo, no entanto, revelaram um quadro diferente.

Segundo Robinson, embora os telespectadores digam que a TV de forma geral é um desperdício de tempo e uma atividade não particularmente agradável, muitos acrescentam que os programas vistos "foram muito bons".

Os autores do estudo concluíram, desta forma, que assistir televisão pode contribuir para a felicidade do telespectador naquele momento, porém, há menos efeitos positivos a longo prazo.

Ele acrescenta que um pouco do tempo extra também poderá ser preenchido dormindo.


a)    Quais conectores são utilizados para mostrar a opinião de uma outra pessoa ou o que uma outra pessoa disse? _________________________________

b)    Quais conectores são utilizados para acrescentar idéias? ____________________________


c)    Quais conectores são utilizados para mostrar idéias opostas? _________________________

d)    Quais conectores são utilizados para contrastar (comparar) duas situações diferentes? _______________

e)    Quais conectores são utilizados para concluir? ___________________


- Agora, tente criar frases utilizando alguns desses conectores:

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

____________________________________________________________________________________________________________________________________________________________                  
Atividade extraída do site da professora Danielle Silva

29 April 2015

Revisão de assuntos - Iniciantes

Revisão de assuntos estudados


Observe a imagem e escolha a melhor resposta.

















Qual é a situação apresentada na figura?

a) Uma pessoa que acabou de acordar.
b) Uma pessoa dormindo.
c) Uma pessoa indo para a cama.

A situação apresentada acontece em que parte do dia? Por quê?

a) Noite.
b) Tarde.
c) Manhã.

A qual refeição do dia podemos relacionar à parte do dia escolhida na questão anterior?

a) Jantar
b) Almoço
c) Café da manhã



http://static9.depositphotos.com/1070459/1170/v/950/depositphotos_11700582-Pillow-fight.jpgA imagem apresenta uma brincadeira entre crianças. Em que momento do dia você acha que ela está acontecendo?
















a) No meio do dia.
b) Pela manhã ou à noite.
c) À tarde.

Você conhece os meses em português? Complete com os que faltam.

janeiro, ____________, março, ____________, maio, junho, ____________, agosto, setembro, ______________, novembro e ________________.


Qual alternativa preenche as lacunas?

Domingo, segunda-feira, _________, quarta-feira, _________, _________, sábado.

a. Quarta-feira; quinta-terça-feira.
b. Terça-feira, sexta-feira, quinta-feira.
c. Terça-feira, quinta-feira, sexta-feira.

Relacione a primeira coluna com a segunda:

a. Manhã                              (       ) Entre 13h e 18h
b. Tarde                                 (       ) Entre 6h e 12h
c. Noite                                  (       ) Entre 19 e 00h
d. Madrugada                      (        ) Entre 1h e 5h.




Responda.

Você está assistindo ao jornal e o locutor anuncia: “Veja o resumo do Final de Semana”.
O que é “final de semana”?

a – Dias úteis de trabalho e estudos.
b – Dias de diversão e passeio.
c – Feriados.

Que dia ou dias correspondem ao final de semana?

a – Segunda-feira e terça-feira.
b – Segunda-feira, terça-feira, quarta-feira, quinta-feira, sexta-feira.
c – Sábado e domingo.

Observe a agenda de uma pessoa e responda.

7h30 – Levantar.
8h – Tomar café da manhã com Gina.
10h – Reunião de pais.
12h – Buscar crianças na escola e almoço.
15h – Levar as crianças para natação.
19h – Fazer jantar para as crianças.
21h – Jantar no Clube de Campo.


a)    Há algum evento realizado pela manhã? Qual ou quais?

__________________________________________________________________

b)    Apenas um evento é realizado à tarde. Qual?

__________________________________________________________________

     c) Qual ou Quais os eventos realizados à noite?

__________________________________________________________________


11 March 2015

Usos da palavra COISA

advanced level


Discuta este texto com os seus alunos de nível avançado. Use sua imaginação e criatividade para extrair o melhor desta atividade.

Não sei quem é o autor dessa coisa, mas que é legal, é! 

A palavra "coisa" é um bombril do idioma. Tem mil e uma utilidades. É aquele tipo de termo-muleta ao qual a gente recorre sempre que nos faltam palavras para exprimir uma ideia. Coisas do português.
Gramaticalmente, "coisa" pode ser substantivo, adjetivo, advérbio. Também pode ser verbo: o Houaiss registra a forma "coisificar". E no Nordeste há "coisar": "Ô, seu coisinha, você já coisou aquela coisa que eu mandei você coisar?".
Coisar, em Portugal, equivale ao ato sexual, lembra Josué Machado. Já as "coisas" nordestinas são sinônimas dos órgãos genitais, registra o Aurélio. "E deixava-se possuir pelo amante, que lhe beijava os pés, as coisas, os seios"(Riacho Doce, José Lins do Rego). Na Paraíba e em Pernambuco, "coisa" também é cigarro de maconha.
Na literatura, a "coisa" é coisa antiga. Antiga, mas modernista: Oswald de Andrade escreveu a crônica "O Coisa" em 1943."
A Coisa" é título de romance de Stephen King.
Simone de Beauvoir escreveu "A Força das Coisas", e Michel Foucault, "As Palavras e as Coisas."
Em Minas Gerais, todas as coisas são chamadas de trem. Menos o trem, que lá é chamado de "a coisa". A mãe está com a filha na estação, o trem se aproxima e ela diz:"Minha filha, pega os trem que lá vem a coisa!".
Devido lugar: "Olha que coisa mais linda, mais cheia de graça (...)". A garota de Ipanema era coisa de fechar o Rio de Janeiro. 
"Mas se ela voltar, se ela voltar / Que 
coisa linda / Quecoisa louca." Coisas de Jobim e de Vinicius, que sabiam das coisas.
Sampa também tem dessas coisas (coisa de louco!), seja quando canta "Alguma coisa acontece no meu coração", de Caetano Veloso, ou quando vê o Show de Calouros, do Silvio Santos (que é coisa nossa).
Em 1997, a NASA lançou a "Missão Mars Pathfinder", enviando um robô para explorar Marte. O mecanismo foi programado para ser acionado a partir do som de uma música e a escolhida foi um samba de Jorge Aragão/Almir Guineto/Luis Carlos da Vila. Assim, o robô da Nasa, foi "acordado" com a música: 
"Ô coisinha tão bonitinha do pai...". Lembram?
Coisa não tem sexo: pode ser masculino ou feminino. Coisa-ruim é o capeta. Coisa boa é a Juliana Paes. Nunca vi coisa assim!
Coisa de cinema! "A Coisa" virou nome de filme de Hollywood, que tinha o "seu Coisa" no recente Quarteto Fantástico. Extraído dos quadrinhos, na TV o personagem ganhou também desenho animado, nos anos 70. E no programa Casseta e Planeta, Urgente!, Marcelo Madureira faz o personagem "Coisinha de Jesus".
Coisa também não tem tamanho. Na boca dos exagerados, "coisa nenhuma" vira "coisíssima". Mas a "coisa" tem história na MPB. No II Festival da Música Popular Brasileira, em 1966, estava na letra das duas vencedoras: Disparada, de Geraldo Vandré: "Prepare seu coração / Pras coisas que eu vou contar", e A Banda, de Chico Buarque: "Pra ver a banda passar / Cantando coisas de amor". Naquele ano do festival, no entanto, a coisa tava preta (ou melhor, verde-oliva). E a turma da Jovem Guarda não tava nem aí com as coisas: "Coisa linda / Coisa que eu adoro".
Cheio das coisas. As mesmas coisas, Coisa bonita, Coisas do coração, Coisas que não se esquece, Diga-me coisas bonitas, Tem coisas que a gente não tira do coração. Todas essas coisas são títulos de canções interpretadas por Roberto Carlos, o "rei" das coisas. Como ele, uma geração da MPB era preocupada com as coisas.
Para Maria Bethânia, o diminutivo de coisa é uma questão de quantidade afinal, "são tantas coisinhas miúdas".
"Todas as 
Coisas e Eu" é título de CD de Gal. "Esse papo já tá qualquer coisa...Já qualquer coisa doida dentro mexe." Essa coisa doida é uma citação da música "Qualquer Coisa", de Caetano, que canta também: "Alguma coisa está fora da ordem."
Por essas e por outras, é preciso colocar cada coisa no devido lugar. Uma coisa de cada vez, é claro, pois uma coisa é uma coisa; outra coisa é outra coisa. E tal coisa, e coisa e tal.
O cheio de 
coisas é o indivíduo chato, pleno de não-me-toques. O cheio das coisas, por sua vez, é o sujeito estribado. Gente fina é outra coisa.
Para o pobre, a 
coisa está sempre feia: o salário-mínimo não dá pra coisa nenhuma.
coisa pública não funciona no Brasil. Desde os tempos de Cabral. Político quando está na oposição é uma coisa, mas, quando assume o poder, a coisa muda de figura. Quando se elege, o eleitor pensa: "Agora a coisa vai." Coisa nenhuma! A coisa fica na mesma. Uma coisa é falar; outra é fazer. Coisa feia! O eleitor já está cheio dessas coisas!
Se você aceita qualquer coisa, logo se torna uma coisa qualquer, um coisa-à-toa. Numa crítica feroz a esse estado de coisas, no poema "Eu, Etiqueta", Drummond radicaliza: "Meu nome novo é coisa. Eu sou a coisacoisamente." E, no verso do poeta, "coisa" vira "cousa".
Se as pessoas foram feitas para ser amadas e as coisas, para serem usadas, por que então nós amamos tanto as coisas e usamos tanto as pessoas?
Bote uma 
coisa na cabeça: as melhores coisas da vida não são coisas. Há coisas que o dinheiro não compra: paz, saúde, alegria e outras cositas más.
Mas, "deixemos de coisa, cuidemos da vida, senão chega a morte ou coisa parecida", cantarola Fagner em Canteiros, baseado no poema Marcha, de Cecília Meireles, uma coisa linda.
Por isso, faça a 
coisa certa e não esqueça o grande mandamento: "AMARÁS A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS".
ENTENDEU O ESPÍRITO DA COISA?